quinta-feira, 29 de abril de 2010

O quarto

Há dias esse quarto estava inativo, nenhum movimento, nenhuma ação. Estático! Totalmente parado no tempo, deixado como estava dias atrás. Aparentemente só entraram para limpar, mas todo o resto tinha medo.

De fato a Moradora dele não estava mais residindo nele, ninguém sabia quando ia voltar ou se ia voltar. Preferiram deixar como estava. Era o "por via das dúvidas". Mas muitos já pensavam nos planos futuros para o quarto, o que poderia ser feito ou melhorado caso a moradora não voltasse. Ou até mudar a mobília de lugar para agradar a Moradora.

Não, pensava o menino, ele não queria ter pensamentos desse estilo. Todas as vezes que eles vinham ele abolia de sua mente, não queria pensar em nenhuma mudança. Ele não gostava de mudanças em sua vida, não tão drásticas e repentinas como essa poderia ser. Gostava de coisas programadas, apesar de não querer programar a falta de convivência com a Moradora de forma alguma.

Mesmo não admitindo ele gostava de ver o feixe de luz da porta semi aberta todas as noites, espiá-la fazendo sapatinhos para os bisnetos imaginários. Gostava e achava engraçado a ouvir conversando com a televisão que estava no quarto ou mesmo brigar quando via futebol. Achava magnífico ela gostar de futebol, ele também gostava e não se sentia tão diferente por isso.

O silêncio eloquente da casa sem a Moradora e sua acompanhante era estranhamente assustador. Não haviam sons de pessoas, conversas e televisões. Não havia comida, mas isso não era de assustar por completo o menino, ele sabia se virar muito bem na cozinha pois tinha aprendido muita coisa vendo a Moradora preparando seus quitutes cheirosos.

Havia quatro dias que ela não estava mais lá, contudo não era a primeira vez que ela fazia isso. O menino lembra muito bem das múltiplas vezes que ela saia assim quando ele era pequeno. Porém dessas vezes era tudo vago e distante, talvez queriam privar e protegê-lo do que poderia ser a saída da Moradora. Tanto que ele era retirado da casa e ficava ao cuidado de outros, tudo passava a ser interpretado como uma mini-viagem em casa de amiginhos criança.

Dessa vez foi diferente, ele pode participar ativamente do fato. Sentiu-se útil e prestativo, mesmo que o máximo que pudesse fazer era abraçar ou conversar. O menino não podia curar, não quis seguir esse caminho e isso martelava pela enésima vez em sua cabecinha não tão mais infantil.

A casa estava vazia, só ele e o moço. Mesmo que a relação dos dois fosse boa, não se comparava com a que mantinha com a acompanhante ou mesmo a Moradora. Então sempre existiam os vácuos falantes em que não se sabia o que falar ou fazer. Quando isso acontecia cada um deles ia para um lado ou comia ou falavam trivialidades do tempo, típicas conversas de elevador.

O menino passou esses dias pensativo, tentando evitar ao máximo olhar para o quarto. Promessas de não pensar ou chorar sobre isso eram inválidas. Já não ligava mais o que poderiam achar se vissem ele só, com o fone de ouvido deixando lágrimas escorrerem em seu rosto. Nada o atingiria mais do que esperar notícias dela e sentir o desespero na voz da acompanhante.

Mesmo que ele desejasse um abraço, alguém para gastar a tarde e fazer esse tempo lerdo passar, não falava. Talvez imaginasse que ninguém conseguiria acalmar a angústia e impotência que sentia. E ele realmente não se sentia bem quando era tomado pela impotência, em especial nesse caso pois ele podia não o ser se tivesse feito escolhas diferentes no passado.

Enfim..... Não adianta mais fraquejar pelo passado, nada mudou nem nada mudará. Ou melhor, talvez tudo (exagerando) tenha mudado nesse menino. Alguns conceitos e formas de ver a vida novamente bateram a porta dele, ele só espera que dessa vez ele os siga ou pelo menos tente. Já basta de sofrimentos nessa casa do quarto parado.

O quarto...
O menino só reparou que refletia sobre isso tudo olhando justamente para o quarto que havia se prometido não olhar, não queria lembrar da Moradora. Porém, dessa vez, tinha algo diferente no quarto. Ainda estava escuro, de fato, mas tinha uma luz, aquela velha conhecida fresta de luz. Ele desejava que ela tivesse voltado enfim e todo equilíbrio seria reconquistado. Dessa vez com o apoio dele já que tinha aprendido a lição e tentaria não mais reclamar.

Piscou, fechou os olhos, contou até três e abriu novamente. A luz ainda trazia seu efeito Tyndall, adorado por ele. Criar coragem de olhar entre a fresta da porta não era fácil, não queria se decepcionar ao ver outra pessoa dentro do quarto. Na verdade não podia imaginar outra pessoa morando no lugar dela, jamais!

A visão nos segundos posteriores podem ser descritas com duas palavras: sorriso sincero! Algo que não aparecia no rosto dele há dias, um erro! Ele tinha um belíssimo sorriso.

Pode ser que nem tudo estava como antes, nem perto o equilíbrio estava de ser atingido. Mas era bom de qualquer forma essa súbita volta como foi a súbita pausa. Em poucos dias esse menino pôde se sentir um homem e se tornar felizmente um.

Agora a vida continua.....

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Princesas

videoOs filmes conseguem, como os livros, criar desejos e ideais que sabemos que nunca conseguiríamos ou mesmo que a probabilidade deles acontecerem é praticamente nula. Então por que sonhamos com príncipes encantandos? Ou por que desejamos a cada momento que aconteça conosco aquela belíssima cena daquele filme famoso?

Quem nunca tentou reproduzir a famosa cena do cantando na chuva quando estava sozinho na rua segurando seu guarda-chuva? Ou mesmo não desejou um Romeu em sua sacada, recitando dizeres promiscuamente puros e sinceros.

Anos das vidas de muitas meninas são perdidos vendo e lendo esses contos de fadas perfeitos para alimentar a imaginação delas sem nenhum objetivo. Esse homem não existe, é um ideal totalmente inventado ou morreu gerações atrás, os meninos de hoje são outros.

Esse não é um post falando mal dos homens ou mesmo para os descrever como são hoje. É um desencargo de consciência, uma liberação de dogma interno. Chega de ser princesa!

Passei a vida toda sendo chamada de princesa por muitos, especialmente por meu pai. Que, agraciou-me com um nome gigantesco e trabalhoso de ditar/escrever com nenhum fundamento. "ela é uma princesa, tem o nome de tal e só a chamarei assim!" palavras dele ao ver um bebê com cara de joelho, pais....

Passei minha vida toda ouvindo como uma verdadeira moça deveria se prostrar, como comer, agir, vestir, até que instrumento tocar. Admito que fugi propositalmente de muitos desses conceitos como uma forma de afronta a sociedade especialmente a familiar.

Contudo, bem lá no fundo, queria ser como elas ou melhor, eu era! Sei alguns conceitos de ballet, tenho uma ponta "linda", sei o combo (costurar, lavar, passar, cozinhar, arrumar a casa, cuidar), vou tocar piano e cantar lindamente em sarais familiares. Acho que queria mais por querer ser como as princesas dos filmes e desenhos. Elas regaram a minha infância e são presentes até hoje nos livros que leio.

Talvez eu queira viver é um conto de fadas. Local que tudo dá certo e acaba bem no final; que, além de programado passo a passo, sabe-se que os atos tem objetivo para o bem, que as pessoas más são realmente punidas, que animais falam, que a vida é mais simples, que o destino reserva coisas boas.

Por um fio, sensação meio Hércules da Disney. Porém tudo ao meu redor está por um fio de explodir, de dar certo, de dar errado, de chorar, de entrar em colapso, de melhorar, de piorar, de acabar, de começar, de mudar... Um fio, uma faísca e a supernova acontece! Isso não acontece em contos de fadas, mais um motivo para eu querer me esquivar para um. Uma simples fuga de realidade é bom, por isso quero fazer o processo contrário de Encantada. O mundo real é chato e trabalhoso. Alguém me carrega para um mundo de fantasia?

Não quero ser carregada para um mundo criado e lindo a dois, não! Esses tipos de mundinhos são cheios de trincas prestes a quebrar e revelar o mundo real novamente. Não quero mais essa realidade....

Ah.....acho que no fim tudo não passa de um medo do futuro que a mim é reservado. Medo do que pode acontecer em poucos dias ou o que será da minha vida daqui a três meses. Queria saber, mesmo que não seria a solução para todos os meus problemas e perderia a graça e a motivação para agir e acreditar em muitos dos casos.

Não sei como terminar esse textos, foram tantos pensamentos e momentos diferentes escrevendo ele que já me perdi (literalmente, mesmo relendo). Pelo menos coloquei todas as idéias dessa vez.... Eu acho!

Eu queria morder a maçã, furar o dedo na roca, cair no buraco certo e/ou ser pega pelo furacão; qualquer coisa para me carregar para a realidade melhor que essa.

Eu só queria acordar amanhã e tudo estivesse normal de novo, já está tudo mal de mais. Ainda vai piorar? "#desabafo"

terça-feira, 27 de abril de 2010

Stan

Estado que não sei definir, mas que já vivi bastante. Por variados motivos, a propósito. É sempre quando a minha mente resolve desligar para não entrar em pani.

Dessa vez o motivo é a correria e loucura que foi hoje e talvez entrar num CTI depois de praticamente dois anos sem preparo psicológico necessário.

Entrar sozinha naquele lugar, almejado como futuro emprego, só me lembrava a última vez lá no Rio de Janeiro. Cidade maravilhosa para muitos, cheia de passado e recordações para mim. Não disse que não gosto do Rio, amo de fato, porém é a combinação dele com hospital provavelmente me faria chorar.


Ah, nem sei ao certo o que estou falando ou por onde eu devo continuar. Total stan, total! Perdida em pensamentos, misturando passado com o presente. E, como da outra vez, a antiga questão bate a minha porta e me pinica com a sutileza de um elefante em estouro de manada (isso existe não é?).

Pensar de novo sobre isso? Para quê? Não vai mudar em nada o objetivo de agora e, no máximo, vai me deixar mais confusa. O triste é não conseguir deixar os pensamentos de lado, é gostar do cheiro, é gostar de lidar com o inesperado. Não está entendendo nada? E vai ficar sem entender infelizmente, esse desejo ou sonho profundo só uma pessoa teve sorte de saber e meio que foi hoje (no ápice da minha confusão interna), assim como espero que ele não revele o "segredo" ;]

Acho que preciso pedir desculpa pela bagunça e pela postagem total sem sentido. Mas eu estou me sentindo assim a algum tempo e vamos dizer que hoje agravou, tudo trouxe os ingredientes que faltavam para a confusão tomar conta.

O que realmente importa é: quero que a minha vó saia logo e bem do hospital, odeio e adoro CTI, todo essa correria e clima de hoje me lembrou o vovô e deu muita saudade dele de novo, tenho que ligar para a minha outra vovó e tenho que estudar mais (acelerar decentemente a vida agora, para fazer tudo o que eu quero).



...

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Nuvens de algodão

Passo boa parte do dia reclusa na minha escuridão, mas quando abro a janela sempre sinto uma guinada estimulante.

Pode ser pelo belo azul do céu, pode ser por adorar reparar no movimento de pessoas e carros pela minha janela. Bem, mas sabe o que é mais especial. Ver as nuvens!

Sempre me perco olhando para o céu, se não são as estrelas que me prendem a atenção são as nuvens. É diversão garantida olhar formatos, cores, tamanhos e elas flutuando pelo céu.

Hoje está assim, não é um céu de brigadeiro. É um céu de algodão doce!!!! E como eu amo açúcar em forma de fios, vou me perder assim... olhando para cada nuvem e pensando no que ela pode se parecer e esperar ela ir embora. Talvez levando junto dela meus pensamentos e sensações.

Eu queria ficar sem fazer nada, na verdade eu posso, eu queria mesmo era não ter peso na consciência ao fazer isso. Tudo bem, vai ficar pesada, pois o dia de hoje merece esse descanso!

domingo, 25 de abril de 2010

Algumas coisas nunca mudam

E isso é bom seria um complemento interessante.

As pessoas podem envelhecer, crescer, seguir rumos diferentes. Mas é só juntar de novo que é conversa para um dia inteiro! É bom conversar com alguém que você não via a muito tempo e não sentir aquele medo bobo de que algum momento a gente vai ficar sem assunto e o clima chato de "o que vamos falar" vai rolar.

Ouvir histórias e contar sempre me deixam motivada, não sei porquê! Talvez pelo fato de contar coisas do passado que já foram superadas ou contar planos e metas do futuro. Meio que obriga a organizar as ideias e, no fim, sinto-me mais centrada no que quero.

Também é muito gratificante ver seu amigo retomar o brilho nos olhos quando enfim percebeu o que gosta. Faz tão bem, alivia... É o grande problema do meu instinto de mãe que tenho com os meus amigos. Eu quero ajudar e ver eles felizes e resolvidos sempre!

Na verdade esse "problemático" instinto é bom em um lado, pois eu fico realmente muito mais feliz quando vejo eles avançando e melhorando do que qualquer outra pessoa ficaria só pelas simples considerações de amizade.

Não sei bem ao certo o intuito dessa postagem ou mesmo o que eu queria dizer no final. Acho que era mais pra deixar registrado como é bom reencontrar um amigo! Registro também que não quero que ele suma mais, como das outras vezes.

Ai meu pescoço!

Não sou mais aquela menina de 17 anos, que passava noites em claro estudando para provas, acordava extremamente cedo mesmo dormindo 4 horas por noite. Tudo por uma semana de provas! O melhor era ter disposição para aguentar uma festa em casa de amigo, virando a noite para ver o amanhecer. Era tudo feito com maior pique!

Essa semana começou normal, tornou-se cansativa e não parou. Partindo para a terceira noite de farra e meu organismo pede incansavelmente uma cama.

Abatida, não são nem olheiras que tomam as feições. Olhos cansados, nem adiantando culpar computador pelo uso contínuo. Sem vontade de comer ou falar, por isso pareço estar calminha. Nada! Não existe vontade de nada, estou meio sem vontade. Até rir e cantar não são atrativos, claro que jogo boa parte da culpa no aparelho. (admito agora que era feliz e não sabia, que é triste ter que consertar mordidas erradas)

Boca rasgada, dor para respirar até, sangue ao comer, fala alterada. Por isso não há desejo de emitir um som, é como se fosse o mais chato dos esforços a se fazer. Paradoxo para quem acordava cantando!

Desabafo: acho que o trabaho vai me consumir. Teria que me duplicar ou acostumar, qual é o mais fácil?

Vivo esse combo: Parada Disney, sol, malhar loucamente, aula, show (do Megadeth), acordar muito cedo, comer o dia todo, sol, calor, volei de praia, andar no sol, correrias urbanas, festa, dormir mal, cãibras, ser acordada várias vezes, escrever todo o trabalho atrasado, correrias urbanas, aula, sinuca, festa, dormir pouco, peça, caminhar, filme, dormir......

Com isso eu resumi minha vida de quarta a domingo. Segunda eu não existirei, estará só o pó aqui!

Tudo que eu queria agora  era deitar, fechar os olhos, receber um abraço e um cafuné...


Ps: esse texto foi escrito ontem a tarde, só passei a limpo para cá!
Pps: Tenho que acrescentar dormir na cama do Dehh e comer no giraffas
Ppps: é estranho falar dos 17 anos, ainda mais indo encontrar um amigo dessa época agora.
Pppps: é certeza que vou escrever outro texto quando voltar da caminhada ;D

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Retrospectiva 2009.

Eu sei que prometi a mim mesma diminuir o fluxo de escrita aqui, mas hoje precisava. Mais um dia sozinha e a voz reflexiva ataca! Talvez ainda mais por saber que hoje será um dia realmente importante, eu vou em um show que desejava desde sempre, e por isso me senti forçada a pensar o que estava fazendo no dia 22 de abril de 2009.

É, esse texto é uma retrospectiva de um ano! Mas, como todos sabem, eu não lembro nem o que comi a duas horas atrás, então será beeeem vago. Normalmente as pessoas fazem essas retrospectivas no fim dos respectivos anos. Pois bem, eu disse normalmente e quem disse que eu sou normal? A vontade surgiu hoje, então aguente por favor ou passe para outra leitura!

Vamos dizer que esse dia foi uma data meio, pois uns dias antes tinha tomado uma decisão e dias depois tomaria outra. Errôneas? Não. Porém sinto que acabei apertando na mesma tecla que tinha prometido nunca mais fazer.

Desvinculando definitivamente de um curso, sonhando em entrar em outro. Desisti de pibic, matérias, amigos, relatórios e estudos. Só trabalhava e pelo resto deste mesmo ano fiquei trabalhando como professora. Foi agradável, extremamente agradável dar aulas. Descobri que gosto disso e que faço com prazer, explicar e ser entendida de verdade não tem preço. Como ver o progresso dos alunos é gratificante. Pretendo voltar o quanto antes, faz falta estar do outro lado da cadeira.

De todo o meu passado só ficava com a monitoria de anatomia, matéria que amo até hoje e não sei porque não tirei SS (preguiçosa)!

Engatei em um relacionamento, como todos tem seus altos e baixos, seus prós e contras, seus bens e seus males. Contudo,  fiz o mesmo erro da outra vez esqueci de amigos. Claro que os do grupo fiquei mais próxima do que nunca, uma proximidade fantástica nunca atingida antes (mesmo sendo amigos desde os primórdios leonérdicos). Então, muito tenho a agradecer a ele. Pois adoro a proximidade que tenho com os meninos hoje em dia!

É triste sentir um lapso de vidas. Ter que recuperar tudo aos poucos, tecer os retalhos da colcha vagarosamente tudo de novo. Eu sabia que esse trabalho era árduo, já tinha o feito uma vez e sabia como podia durar. Mas dessa vez, pelo conhecimento de causa, sinto que não me perdoo por ter apertado a mesma tecla.

Chateio-me não conseguir ter tempo suficiente agora para rever pessoas que há tempos não vejo, passar tardes tomando chocolate quente ou mesmo conversando de baixo de um bloco. E o pastel meninas? Ah..... esse fica na saudade ou conseguiremos um dia?

Sentir agora que três grupos de amigos fluiram como água entre meus dedos e eu contemplei o ato sem ao menos tentar fechar a mão é intrigante. Como pude, muitas vezes, dizer que não podia ir mesmo estando do lado só para ficar mais um pouco ali, aproveitando um e não todos! Deixei: festas, shows, papos, conversas, amigos, aniversários, momentos, histórias, vidas...

Muitos podem dizer que posso ter perdido isso tudo e ganhado um tanto outro com a vida "nova" que eu vivia. Sim, ganhei coisas que já falei. O que me incomoda é não ter sabido administrar meu tempo e vida, claro que algumas coisas seriam perdidas. A questão é que seriam bem menos, era tudo um pouco de bom senso! Lembrar o que sempre digo relacionamentos vão, amigos ficam ou no popular "vão-se os anéis e ficam os dedos" (vai dizer que nunca interpretou assim essa frase?!).

Nesse silêncio que me sinto agora, não há alívio para tanto ou mesmo conclusões. Simplesmente estou tentando tecer novamente tudo perdido, aos poucos reestabelecer o equílíbrio...

Disso tudo vale uma lição, é possível visualizar quem realmente é seu amigo e quem realmente gosta de você (gostaria de dizer que são as mesmas pessoas xD). Agradeço como as pessoas tiveram paciência e respeitaram o momento que viviam, muitos sabiam que era um erro e não falaram. Outros tinham a plena consciência que eu mesma ia reconhecer o erro, né anjo?

O que mais precisava era pegar um mega fone e gritar aos quatro ventos desculpas, já que o tempo escasso de minha vida agora não permite ir em cada pessoa e pedir desculpas. Até por eu ter uma lista antiga de erros e desculpas recorrentes, então agora ela só tendeu a aumentar.

Espero que com essa postagem eu aprenda, que ela vire um tipo de registro interno (no caso externo e para todos lerem) de como eu não deva agir ou quem eu não posso esquecer! Por isso mesmo queria deixar sacramentado que jamais eu apagarei fotos, textos, álbuns se algum ser sem fundamento pedir e sempre balancear entre as pessoas mais importantes da minha vida (amigos e família) e alguém que esteja merecendo momentaneamente meu coração!

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Tem suas vantagens...

Mesmo que o sol me atinja, mesmo que tudo pudesse ter dado errado.
Mesmo que tenha que aguentar Justin Biber, ou como se escreva.
Mesmo que tenha que ler ou escrever por coisas que não gosto.

Tem suas vantagens trabalhar no que eu gosto e ainda mais para algo que me acompanhou a vida inteira. Não falo só da música e sim dos desenhos!!

Nunca tive capacidade grandiosa de desenho. Sempre brinquei que o meu pai não soube dividir os dons entre os filhos, então meu irmão é um excelente desenhista e eu sou uma porcaria até tentando desenhar palitinhos. Isso não atrapalhou de forma alguma eu admirar tipos de traços ou mesmo a transformação deles em animação (sei que posso me equivocar, mas existe uma diferença entre desenho animado e animação, vou perguntar para os entendidos e conto um dia!).

Outro ponto que adoro é conhecer músicas antes mesmo de serem lançadas ou que acabaram de sair do forno. Como? Todos ouvem agora " Who I am" do Nick Jonas com os The Administration. Eu?! Ah... antes mesmo de sair direito eu já sabia e cantava. Letra bonita não? Vamos dizer que já me fez sofrer bastante, quem lê e sabe é só ligar as datas.

Outra que conheci antes é a "Follow me down" do 3OH!3. Gracinha não?! Dá vontade de saltar ouvindo, sempre!

Já disse que adoro música? Como o som pode me agradar tanto e me fazer bem, minha vida é regida por música. O silêncio pode chegar incomodar às vezes, porém já aprendi que ele se torna necessário em alguns momentos de nossa vida. No entanto, por agora preciso de som.... a cabeça a mil necessita de música para continuar funcionando. Música de todos os tipos, de todos os gostos e para todos =D

A propósito, já viu que música é uma das poucas coisas que todos tem acesso? E que todos conseguem fazer música, mesmo que seja ruim. Sempre tem alguém feliz cantando na rua.

Acho que sou agradecida por ter tido esse dom, de poder perceber mais e melhor música. De conseguir reproduzir o som em um instrumento e de ter voz, não que eu a considere boa, mas as pessoas gostam dela!

Ah...... tentei expressar o meu incondicional amor por música? Não?! Então dizer que me faz bem: perder-me entre partituras, tentando sentir cada um dos instrumentos que estão presentes na música, conversando sobre ou perdendo tempo tocando ou lendo sobre.... Eu queria fazer música na UnB só que tenho medo da prova específica! Eu queria tocar muitos instrumentos e o dinheiro falta em todos os sentidos....

Achando estranho o post? Uma mistura de pensamentos? Ah, deixa eu te contar é a Mavi que está escrevendo hoje. Clareou agora?! hehe =D

Ps: misturei assuntos e vou imitar um amigo hoje, marcadores criativos =X

terça-feira, 20 de abril de 2010

Encontro de aromas...

"If I leave here tomorrow
Would you still remember me?
For I must be travelling on, now,
'Cause there's too many places I've got to see.
But, if I stayed here with you, girl,
Things just couldn't be the same.
'Cause I'm as free as a bird now,
And this bird you can not change.
Lord knows, I can't change.

Bye, bye, baby its been a sweet love.
Though this feeling I can't change.
But please don't take it so badly,
'Cause Lord knows I'm to blame.
But, if I stayed here with you girl,
Things just couldn't be the same.
Cause I'm as free as a bird now,
And this bird you'll never change.
And this bird you can not change.
Lord knows, I can't change.
Lord help me, I can't change.

Lord, I can't change.
Won't you fly high, free bird
Yeah"
(Free Bird - Lynyrd Skynyrd)


Justo hoje escolho colocar o perfume deixado de lado e esquecido por remeter aquela época, aquele ano perdido no tempo. Logo hoje quando o coloco, eu sinto a fragrância complementar. Não na mesma pessoa, claro e infelizmente!

Essa música veio a minha cabeça, nossa música. Pois somos livres não? Mas presos um ao outro e todos sabem, só nós que não admitimos por não estarmos preparados para isso.

Quem sabe isso se resolva um dia ou a gente esqueça de uma vez por todas. Nenhum perfume ou música vai marcar mais, nenhum olhar ou comentário será tão significativo ao ponto de nos fazer querer voltar anos de nossas vidas......


Vivendo e aprendendo que sempre que pode, o destino adoro nos pregar peças e se divertir com nossas reações!

domingo, 18 de abril de 2010

Sozinho

Não é o título da música de Caetano Veloso, vale salientar que essa música é realmente muito bonita. Acredito que sei ela de cor desde criança como "Leãozinho" (essa última me lembra infância e minha mãe cantando com o meu pai para mim....

O título não tem por objetivo remeter à música e sim como foi hoje. Passar o dia literalmente sozinha e sem esperar muito por isso é um prato cheio para aquelas mil reflexões que estavam no fundo de mim esperando o momento certo para agirem.

E foi assim, deixei-me levar por talvez tudo que precisava pensar. Tirei o dia para mim, dormi até a hora que queria, só comi quando tinha fome (nada de obrigações e horários impostos), cozinhei como a muito não tinha tempo, saboreie minha comida (ela não é algo estupendo, mas ruim não é, então estava muito boa), lavei louça, arrumei tudo. Enfim, o sentimento de responsabilidade e o silêncio só ajudaram a me organizar melhor e foram os ingredientes perfeitos para o trabalho mental que passaria depois.

Quando se precisa de sossego se refugia no local que se mais gosta. Eu faço isso também, porém não existe um local ao certo para mim. E sim uma sensação, a liberdade! E a forma mais fácil é em contato com a natureza. Como não podia por completo por agora, o que não impede uma viagem futura para o mato, eu fui caminhar pelas trilhas do parque. Mesmo com o asfalto cortando o chão, o ar estava mais gostoso que qualquer outro para mim.

Caminhar sempre me fez bem, sempre consegue ajudar a colocar os pensamentos no lugar e, claro, emagrece! Sinto que preciso, sempre! Mesmo que isso seja ruim para mim, eu gosto dessa rotina de exercícios e preocupação com alimentação, algo herdado de meu pai.

Talvez nem todos os pensamentos estejam organizados, no entanto senti um alívio. É um começo para boas conclusões. Alguns campos consegui definir o que quero e, para uma pessoa indecisa ao extremo como eu, isso é um ganho enorme. Admito que talvez uma das decisões eu não consegui sozinha, mas a pessoa nem tem ideia de como pode ter me ajudado só por conversar, heheheh.

Sou uma pessoa que nivela por baixo tudo que faz ou quer, eu me nivelo por baixo. Não sei porque falar isso, mas tenho que melhorar no geral. Talvez seria esse um ponto que eu pensei hoje.

Talvez eu tenha pensado em ir num psicólogo. Às vezes, gostaria de entender e aprender a lidar com tantos pensamentos e tantas pessoas morando na mesma caixa craniana, hauhauhauhau. Contudo, logo em seguida penso que eles não servem para nada para mim (desculpa amigos psicológos ou futuros psicólogos), pois quem me entende só sou eu mesma. Isso por completo, existem pessoas que tentam mais, acredito que um dia chegarão a me entender tão bem como eu o faço!

Isso, estou chegando a conclusões de enfim entender quem eu sou! E isso é tão bom, por quê? Talvez não mude nada em relação a lidar com pessoas e o mundo, mas em como eu lido comigo...ah isso vai mudar! Chegou de seguir padrões, eu vou ser mais eu! Preocupada com o que vão pensar de mim? Sempre!!!! Outra coisa que talvez eu tenha que aprender a lidar e talvez eu queira fazer isso com vontade. Mas vou fazer como quando danço, fecho os olhos e esqueço que tem pessoas ao redor.

Eu vou fechar os olhos para os olhares estranhos, paras as críticas e para quem só sabe julgar. Tentarei, espero que não desista, daqui para frente ligar menos para o que os outros pensam ou falam de mim. Eu sou assim!


Ps: o título no masculino foi para o Adam, normal eu sentir saudade dele. Ele só manifesta em pensamentos agora ;D

sábado, 17 de abril de 2010

...

Realmente me sinto uma reticências, daquelas usadas para frases que não conseguem ser terminadas. A terminação não por interrupção, a causa é falta de argumentos capazes de descrever ou palavras existentes.

Simples, cabeça no lugar.... focar, trabalhar e estudar!

Sei que até segunda eu vou perder o meu cérebro ou vou estourar o meu computador (o que acontecer primeiro). Mas é assim, vida de adulto é complicado em todos os sentidos.

Preciso definir em 4 palavras, 4 coisas que significam o agora para justificar o que poderá acontecer nesses próximos dias: eu vou parar de escrever aqui!

Confusões
Estresse
Tempo
Prioridades

Eu sei que aqui é minha vida, sei que essas palavras têm 4 sentidos para mim como falar o número 4 também. Só espero rir disso se eu ler depois que acordar...

Até quando eu voltar, pois eu vou! Ou até a minha moral interna ser reconstruída.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Uma pausa para respirar!

Cansaço em uma das suas variantes não é bom, em mais de uma é frustante.

Não existir noite, fim de semana, feriado, telefone no silencioso ou mesmo consideração que se precisa comer ou dormir ou respirar. Não é só por causa do cursinho, esse ritmo alucinador já é tirado "de letra" por minha pessoa. O mundo adulto que é assustador!

Cobranças, projetos, datas limites, resultados resultados resultados. Todo mundo quer resultados e para ontem!!!!! Ninguém quer saber se você tem outras coisas para fazer ou se tem vida, só quando será que pode entregar tudo que lhe foi pedido. Paciência e calma são palavras que foram riscadas do vocabulário dos adultos de hoje.

Ninguém resiste mais em esperar, ansiedade toma conta e a necessidade de passar a frente junto com a sede de novos momentos impulsiona o ser-humano a..... aproveitar o momento?! É por isso que muitos dizem que trabalhar é ruim, pois se fosse bom teria outro nome. Essas pessoas não fazem o que gostam ou mesmo não conseguem tirar proveito do que fazem. É só pressão feita, pressão recebida, pressão compartilhada. Como gostar disso? Ninguém sente tesão por ambientes exaustivos; acredita-se, na verdade, que pessoas normais não...

Quando é que isso vai parar? Se isso vai parar?

Só sei que tenho que me blindar e ficar mais forte para aguentar o que o mundo adulto pede de mim. Só que por agora, ainda fraquejo como um bebê quadrúpede aprendendo a andar. Espero que não me perca, não fique abalada e não me torne fria pelo sistema. Porque tenho paixão pelo que faço e quero amar sempre mais o que vivo. Ser preparada e forte o suficiente para aguentar e conviver com todos eles, os "dominados".

quinta-feira, 15 de abril de 2010

*postando sob efeito de dorgas xD*

*postando sob efeito de dorgas xD*

Meu conhecimento aparente e minha teimosia constante normalmente agem como intuição. Eu sabia que essa vacina não estava com nada e que ia ter reação. Mas claro, eu tenho que ser como todo mundo e me vacinar. Dito e feito, estou "grogue" e com um sono incotrolável!

Mas e os cartões de visita, a carta de recomendação, a melhora da logo-marca, a edição do site, as duas colunas semanais, estudar artes plásticas e as matérias perdidas hoje, arrumar o quarto, arrumar bancada, arrumar roupas, desmontar arara de roupas, fazer a unha, hidratar cabelo, malhar, cuidar do rosto e ir no cinema. Tudo que eu ia fazer hoje e agora, quando vou fazer?

Ah..... nem sei, vou levando lentamente. Uma hora tudo se arruma! Eu só quero lerdar e dormir agora....


Obs: juro que tinha maconha na minha vacina, pois está tudo na paaaaaz!

Undisclosed Desires -Muse

 I know you suffered
But I don't want you to hide
It's cold and loveless
I won't let you be denied

Soothe me
I'll make you feel pure
Trust me
You can be sure

I want to reconcile the violence in your heart
I want to recognize your beauty's not just a mask
I want to exorcize the demons from your past
I want to satisfy the undisclosed desires in your heart

You trick your lovers that you're wicked and devine
You may be a sinner
But your innocence is mine

Please me
Show me how it's done
Tease me
You are the one

I want to reconcile the violence in your heart
I want to recognize your beauty's not just a mask
I want to exorcize the demons from your past
I want to satisfy the undisclosed desires in your heart

Please me
Show me how it's done
Trust me
You are the one

I want to reconcile the violence in your heart
I want to recognize your beauty's not just a mask
I want to exorcize the demons from your past
I want to satisfy the undisclosed desires in your heart



(Alguma pessoa terá o direito de ouvir isso da minha boca, ui!)

Obs: trabalhar até de madrugada me deixa assanhada!

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Welcome to misery

"Imagine a place you can always escape to
An island off the coast of nowhere
A new destination of your own creation
Just waiting till you choose to go there"

"This is a place where your mind can escape
All the problems today and go far, far away
This is a time with no history
Welcome to mystery"

Pedaços de uma música introdutórios ao momento que vivo no geral ou mesmo específico. Vamos dizer que acabamos de entrar na era chocolate pelo amor de deus pois tenho hormônios babacas agindo sob mim.

Como eu sempre falo, odeio algo controlando o meus sistema nervoso. Por isso tenho aversão a droga e a beber muito, tenho medo do que pode acontecer. Mesmo motivo que odeio estrogênio e progesterona.... Mas tudo bem, vamos vivendo!

Tudo não é ruim por completo. Volta o meu computador, mesmo dando todo o trabalho para reinstalar componentes e variantes, e vai o meu carro. Alguns dias voltando a outra vez que fiz cursinho, viva aos meus maravilhosos Mercedes \o/

Sempre procurando o lado bom de tudo, então poderei ler mais e analisar/observar pessoas. Eu gosto tanto dessas coisas! Agora..... coisas irrelevantes de mais para ser faladas. Chega chega!

Acho que tenho que olhar para as coisas que realmente importam: meus amigos! Eles conseguem me fazer bem sempre. E melhor, adivinhar que eu preciso deles ou atenderem prontamente quando preciso. Digo, do fundo do meu coração: AMO VOCÊS MAIS QUE TUDO! (declaração do fundo mais puro do meu coração)

Boa noite! E que ninguém sinta enjoos como estou sentindo :S

Ps: Feliz aniversário Gui lindo do meu coração, que a gente se aguente como irmão por mais muitos anos (na verdade que você me aguente ;D). Aproveite loucamente esse dia super especial de hoje, é quando você fica ainda mais velho que eu, hohohhohoho =P

terça-feira, 13 de abril de 2010

Contra a maré

É extremamente agradável (aqui coloque o pior tom de sarcasmo) sentir as lições sutis que a vida te dá, mais popularmente conhecidas como "tapas com luva de pelica". Uma hora sempre se aprende, não é? Pois eu mesmo depois do tapa ainda vou contra, não é só por eu gostar de ser do contra (sincero isso). É, em especial, por eu ter o meu livre arbítrio e querer, dessa vez, praticá-lo de uma vez por todas.

Não é porque minha mãe sempre falou, meu avô sempre encheu a boca para dizer, meus amigos colocavam a mão no fogo afirmando isso ou mesmo eu tentava desmentir dizendo que odiava branco. Não é por nada que eu vou virar médica! Logo vem a frase célebre: quem cospe para cima recebe o cuspe! Eu sei que vou pagar a minha língua um dia, mas quero assim.

Não adianta tios médicos me encherem, primos também, meus próprios médicos falarem que eu deveria. Já disse que não vou! Quero deixar a vocação de lado um pouco para fazer coisas que a muito tenho vontade, sonhos... Eles podem se concretizar e eu posso morrer de fome e daí? A "vidinha" estável, feliz e que eu sempre sonhei atrás de um jaleco branco vai ficar para outra vida. Ou para o futuro. Ou melhor, alguém paga a faculdade? Por que eu não vou perder mais tempo em cursinho na minha vida, sempre prometi isso (e o cuspe já está de volta na minha cara, pois cá estou no cursinho).

Enfim... Só afirmo que chega, destino ou vida ou mãe natureza ou o raio que for! Eu sei muito bem o que eu deveria ser, mas não quero! Então, por favor, não enche!

Ah, esse post foi mais um desabafo de raiva por eu ter ido pela "milionésima" vez ao médico sabendo muito bem o que tinha e o que era necessário tomar ou fazer. Detesto simplesmente saber essas coisas e detesto jogar dinheiro no lixo....

A vida segue.....

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Incoerências Urbanas

Estou pensando incansavelmente nesse texto desde sexta. Cada dia eu acrescentava mentalmente algo a mais para escrever, uma idéia ou contradição interna minha. Não colocava em prática por não me sentir preparada por completo para ele, até hoje.

Sentir um prazer interno tão gostoso a fazer uma atividade não típica dos meus XX normalmente me faz bem ou me deixa mal socialmente. Essa, mesmo com a presença da minha mãe, fez-me bem. Tão imbecil ou cotidiana atividade para uns, irrelevante para muitas. Porém, para mim, foi gracioso! Sim essa palavra define aprender na frente do espelho fazer nó de gravata com o meu padrasto. Simplesmente foi bom por eu me sentir com uma presença paternal que nunca tive, aquelas coisas cotidianas de pai e filho (a) que eu nunca presenciei já que sempre foi mamãe e eu. Talvez, o que foi mais marcante para mim era me sentir um menino.

E é por aqui que eu começo as minhas incoerências...


Queria ter dois corpos, sim dois! E permutar o meu cérebro por eles quando bem entendesse ou necessitasse. Na verdade o que eu odeio é a sociedade descriminar tanto... Tem dias que eu adoro colocar uma saia, uma sapatilha, maquiar-me toda, arrumar as unhas e sair como uma diva! Também existem os dias que dou tudo por um tênis, uma bermuda, uma calça larga e uma cueca!!! Sim, maldita inveja da vida fácil de um homem. Das roupas muito mais legais e bonitas. Mulher é sempre a mesma coisa, saias mil, sapatos e babados e brilhos....blergh!

Isso introduz outra contradição minha: moda! Como uma pessoa tão anti moda que eu era, posso ser hoje uma colunista de moda e querer estudar isso mais para frente. Simplesmente adoro internamente esse mundo, caso eu pudesse comprava todas as roupas de todas as tendências. É tão gostoso saber fazer maquiagens diferentes ou mesmo compor todo um look de alguém ou meu mesmo...

Acho que até a cidade me ajuda com essa incoerência gritante. Sair para o Sol não significa mais ficar morrendo de calor, o Sol está frio! Na verdade, o vento está tão gelado que nem parando para receber os raios tão calorosos antigamente não se consegue se aquecer mais. Andar de casaco na luz do dia é... weird! (não consigo achar forma melhor, em português não encontro a mesma intensidade) Ainda bem que gosto de frio, só não suporto frio artificial (lê-se ar condicionado).

Pelo menos se consegue lavar o carro e sentir que não gastou dinheiro em vão. Lavar o carro? Eu! Pois é, forças do destino obrigam qualquer um a fazer isso. Mesmo pelo ciúme excessivo, amor incondicional e não aceitar um homem fazendo algo que eu faria melhor. Eu deixei que lavassem o meu carro, mas a cera não! Sou eu que vou passar como foi a lavagem interna dos vidros!

Ah... Terceiro ou quarto “copo” de licor e nem efeito, acho que a resistência é algo que atrapalha quando você quer realmente ficar um pouco longe da realidade fracassada. Ou talvez o álcool pudesse fazer o efeito tão desejado por mim, abrir a minha mente. Mostrar-me que eu exatamente sou para eu cessar com essas suposições e mudanças de opinião. Vã idéia minha, como um composto orgânico tem o poder desses? Bobagens minhas... Bobagens!

Tenho que compreender e conviver comigo assim. Sou indecisa, sou perdida em mim, sou compulsiva, sou controladamente impulsiva, faço que dê na “telha”. Uso um vestido colorido, contudo pode ter certeza que o que está tocando no meu i-pod é um belo metal. Posso não gostar de azul hoje e amanhã estar toda vestida de azul, posso dizer que nunca mais faria algo e ao virar às costas a primeira coisa é puxar um da carteira e mascar (pelo menos tira a minha fome em todos os sentidos, a propósito farei um dia um post especial homenageado o chiclete).

Posso querer tantas coisas ao mesmo tempo e não querer nada na verdade, só estou tomando o meu tempo. Faço escolhas e me arrependo logo delas, defino características minhas e logo discordo de mim mesma. Sempre acho algo, nunca tive uma certeza de mim. Das poucas que tive mudei de idéia e a passagem pelas explicações para o mundo é tão entediante.

O que eu mais quero é agarrar uma árvore (se a Mah ler isso vai rir horrores) e não acredite que é efeito do licor; já levantei, já sacudi a cabeça e nada me atinge literalmente. Isso quer dizer que quero testar, experimentar, fazer coisas que eu nunca fiz. Ora para divertir ora para lembrar que eu era e me sentir mais incoerente comigo!

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Fotofobias

Hoje será um dia assim. Óculos escuros e olhos cerrados para aguentar a claridade em variados momentos que acompanhará.

A primeira foi a luz do quarto, a segunda a do banheiro, a terceira  a janela para visualizar o dia perfeitamente mais claro que outros! Realmente Deus não existe ou não quis atender o meu pedido, queria tanto que hoje fosse um dia cinza...

Vou ter que aguentar claridades piores daqui a pouco, o centro da cidade é realmente mais claro que a minha casa e reflete a luz por todas as partes. Malditos prédios espelhados ou brancos! Depois aquela sala branca, com uma pessoa de branco, com luzes claras e centradas no meu rosto...

Hoje é dia que agradeço pelos meus músculos oculares serem preguiçosos e não gostarem de trabalhar. Ou agradeço pelo ser humano precisar de tanta luz e não pensar nos outros.(*sarcasmo*)

Só sei que, se não ganhar dor de cabeça até a noite, vou sentir toda ela a noite. Luzes estroboscópicas são realmente tensas para meus olhinhos, mas tudo bem. Nesse casso eu posso fechá-los e curtir o ritmo ou mesmo usar um óculos escuro "style".

Agora é partir para a saga de hoje, carregando os meus belos óculos escuros para todos os lugares!

Bom dia!

(estou realmente ficando mais educadinha com o passar das minhas postagens, ahuahauhauh)

Aquecimentos!

Chega a sexta e as minhas células aclamam festas, bebedeiras, amigos, zuações, filmes, exercícios e muita diversão! Quem não quer não é? Passar a semana toda estudando, trabalhando, dormindo pouco e "malhando" tem que ser bem recompensado, não?

Nada melhor do que uma festa para provar que os agachamentos estão funcionando e todas aquelas aeróbicas malucas ou mesmo nadar surtem efeito positivo. Ah.... nadar, como é prazerosa essa prática, mesmo hoje sendo o primeiro dia e eu ter percebido que perdi toda a minha forma de antes.

Pelo menos meu fôlego continua o mesmo, sempre longo. É até um milagre visto as besteiras que já fiz com meu pulmão e diafragma... Pena é não conseguir mais fazer tantos metros como antes, mas isso se consegue com o tempo. Agora que voltei para a água ninguém me tira mais dela!!!!

Já disse como é gostoso ver azul por todos os ângulos? Ainda mais misturado com o seu reflexo, sombra, na piscina mostrando os movimentos que se fazia. Ah, como é bom nadar. Posso ter até passado um pouco mal, mas isso foi devido a minha alimentação de porcaria (aos poucos eu estou melhorando, bem aos poucos infelizmente).

É isso, mais feliz e completa agora. Não completa, ainda lacunas, mas levemente "estão sendo" preenchidas pelas coisas boas da vida!

A propósito... Água me faz muito bem, em todos os seus sentidos! =D

Boa noite!

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Obsessões

É realmente chato ter algumas.
Mais chato não conseguir controlar outras.
Pior é ficar mega enjoada depois que pratico algumas.
É triste ser assim! Que coisa....

Tá na hora de controlar a ansiedade, pois ou eu fico doente ou eu engordo! Nenhuma das anteriores por favor?!

Por isso, vamos malhar, malhar e malhar. Aproveitando que o dia está lindo.

Você já abriu a sua janela hoje? Pois abra, eu vi um dia maravilhoso e estimulante lá fora hoje!

(não é porque a postagem está curta que quer dizer que eu estou perdendo a vontade ou o jeito de escrever, é so porque eu quero viver um pouquinho mais!)

Em busca da fragrância perfeita

Hoje houve mais do que certeza que "Deus" pode ter brincado comigo pelo fato de não ter muita memória, mas deixou um presente especial. Um não, dois! Realmente tenho ótimas memórias olfativa e musical. Conseguir lembrar de um perfume que só devo ter sentido duas vezes na minha vida e quando eu tinha 14 anos é surpreendente, ainda mais lembrar de tudo que envolvia ele. Aí é impossível! Pois digo que lembrei até do gosto e da textura da comida que eu comia enquanto estava sentindo esse cheirinho tão acolhedor.

Isso me fez pensar mais ainda em quantos cheiros me lembram pessoas ou situações na minha vida. Contudo, percebi que não tenho um cheiro meu. Muitas pessoas adoram meu cheirinho de chocolate meio baunílha e que lembram de mim por causa dele. Mas eu não me sinto tão ligada assim a esse cheiro, até por ter pego essa idéia de amigas.

Quero um cheiro meu, quero algo que quando pego eu consiga lembrar de mim! Todos os meu perfumes carregam lembranças que tenho com outras pessoas. Torna-se chato colocar alguns certas vezes. Existem até os que evito usar para não lembrar o que ainda não me sinto preparada.

Talvez eu tenha um perfume que lembro de mim, mas lembro acima de tudo uma fase minha que quero deixar de lado por muito tempo (esquecer é algo impossível infelizmente!).

Acho que vou sair para escolher algo novo, algo surpreendente e tocante! Algo que me complete ou me reflita olfativamente. Preciso disso, algo novo! Esse aromas que eu convivo já me enjoaram de mais.... Quero mudar isso também em mim. Em poucos dias, Mada com outro aroma! ;D

O dia de hoje!

Começando de trás para frente, acredito que não ria a tanto tempo como ri agora a pouco. " A cegueta e a dopada", ninguém além de minha mãe entenderia isso. Explico....explico.... quarta-feira da semana que vem estaremos cada uma nesse estado sem poder tocar em um carro, enfim. Não vou ficar explicando a piada até porque não tem graça.

Não choveu até agora! Esse milagre realmente não consigo entender porque estou comemorando?! Talvez pelo fato de ter sido uma manhã mega linda e uma tarde mais ainda, foi ótima para caminhar comigo mesma, o Adam e a Mavi. Nunca gostei de dias de sol, mas os raiozinhos que pentravam na minha pele traziam felicidade para as minhas células, não sei como. Isso normalmente chega a arder, mas hoje foi levemente gostoso.

Gosto de cinza, bastante até, ainda mais quando está no céu. Porém hoje o azul me contagiou. Estranho como consegui olhar tanto para o céu dirigindo (agradeço aos mil engarrafamentos que peguei, pera estou agradecendo por algo que detesto! Estranho....)

Voltando para o contrário... Chegar em um cinema do nada, sem nem saber horários ou mesmo filme que gostaria de ver é uma experiência totalmente nova. Sempre tudo tão planejado e calculado, cada hora não passa sem um planejamento prévio e bem pensado. E foi tudo por impulso!

O dia de hoje foi um grande impulso que aconteceu em várias fases. Nem pestanejar em ir para o cinema quando descobri que não ia ter as aulas da noite, nem raciocinar gastos ao comprar essa belezura ao lado, nem pensar que ficaria atrasada se perdesse um bom tempo andando por Brasília antes de ir para a aula, nem calcular a vergonha e a timidez ao conversar com as pessoas da minha sala hoje (mesmo que algumas delas tenham o olho mais azul profundo que eu já vi, agoniante =X).

Ah.... estou fazendo propaganda sim, que eu posso fazer sou apaixonada por elas! E pasmem, tem uma maçã na minha melissa *_*

Amanhã pode ser até um dia normal, mas hoje?! Vai ficar para a história como o dia que não pensei no passo seguinte 50 vezes antes de agir. De vez em quando é bom ser assim, pena que aparece em dias normais em que os maiores impulsos são de compra. Tudo bem, exercer mais esse lado humano que surge em mim.

Pingos nos "i" e pontos finais "."

Está tudo bem de verdade e isso me assusta!

quarta-feira, 7 de abril de 2010

O sol, o tênis e o casaco verde!

"Sem lenço nem documento", na verdade hoje foi sem celular sem documento. Saí por ai, livre de identidade e identificações. Era só mais uma alma perambulando pela rua fria e ensolarada.

"O último sempre é mais amargo que o primeiro" gostos que se sente, a última vez nem sempre é tão boa quanto a primeira. Sempre a primeira vez é mais marcante e a última sempre nostalgiante.

Está calor, estou de casaco, estou sentindo o sol passando pela minha pele. Porém ainda está frio, frio por dentro. Nem uma baforada da mais quente fumaça densa esquentaria. É complicado esquentar o vazio? Realmente não sei...

Sentir falta é algo bem provável que eu sinta, mas saudade jamais sentiria! Não se sente saudade de algo que só te faz mal, só na verdade não. Mas o principal é mal, especialmente depois. O gosto fica  sempre amargo e não sai por nada!

Uma coisa me incomodou, senti-me deslocada. Pelo simples fato de não ter saído arrumada, encontrei tantas pessoas engravatadas, cheirosas e maquiada... Senti-me um trapo ambulante, não tinha me preparado. Tudo que eu queria fazer era correr para casa, pegar a minha melhor saia, um salto, tomar um belo banho e me maquiar. Sair linda, uma diva! Ui! Para quê? Para mim, dá licença?! (hehe)

De uma coisa me arrependo somente: não ter levado a câmera! A saída sem lenço nem documento rendeu paisagens bonitas e interessantes. Até gostar de sentir o sol no rosto foi bom...

Pensamentos no lugar, agora é seguir em frente (literalmente)!

Relatividades cotidianas...

Para começar, tem coisa mais agradável que deitar na cama de mamãe e passar um pouquinho de tempo com ela? Claro que o nosso tempo fica cada dia mais curtinho devido as nossas tarefas e trabalhos diários. Cheguei a ficar dois dias sem ver ou falar com ela na semana passada, pasmem, moramos na mesma casa e nossos quartos são vizinhos. É... Paciência! Pelo menos estou agora do lado dela. (então por que raios está postando aqui? Para demonstrar felicidade e se não escrevo, as idéias ficam aporrinhando na cabeça e não consigo fazer mais nada u_u)




Dia corrido hoje. Dia cheio, corrido e cansativo! Mas fiz coisas que não fazia a tempos ou não fazia direito. Andar na chuva, só que sozinha e pensando. Olhar para cima e sentir cada gotinha caindo no rosto e sorrindo com elas.



Ouvir alguém tocando violão e cantando "para mim" uma das músicas que eu sempre quis ouvir ao vivo não tem preço que pague. Ainda mais ouvindo a chuva lá fora e sair para sentir ela em seguida!



Hoje foi o dia! Estudei como nunca estava estudando, criando forças e afinco que não acreditava que eu poderia ter. Enfim conseguindo dar a guinada nos projetos e falando nisso, que dia complicado nesse quesito. Acordar passando mal, criar coragem para ir e apresentar planos mesmo sem conseguir raciocinar direito foi o que a gíria chama de "punk"!!!!



Estava com saudade de andar no concreto e metal chamado ICC! Das últimas vezes que fui na universidade eu só andava pela faculdade de tecnologia e arredores. Passei tantas noites nos subsolos e arredores da minha vida, como poderia renegar que eu gostava daquele lugar... O silêncio, a paz, o vazio, a calma, a escuridão mesmo na luz do dia! Adoro o subsolo do ICC só por poder ficar só com os meus pensamentos e agir como eu realmente sou, ninguém está vendo mesmo!!



Vai um gole de capuccino? Quanto tempo eu não tomava um nesse friozinho gostoso!!! Adoro fazer e tomar capuccino no frio, lembra infância, lembra adolescência, lembra tudo de bom e gostoso da minha vida. Uma vez já escrevi aqui sobre o capuccino, ou melhor, esse texto está no meu portifólio!



Falando em coisas do passado, quem não tem uma roupa que nunca se desfaz de tão gostozinha que ela é para você? Eu tenho um casaco assim. Nossa, não quero perder ele por nada, pois todo dia de frio aparente eu coloco ele e fico sorrindo que nem uma boba. Ele pode ter sido lavado mil vezes como sempre o é, contudo o cheirinho de histórias dele é tão bom! Um dia ainda tenho coragem de andar na rua, melhor, na chuva com ele, depois pegar uma bela caneca de capuccino com chantilly e canela para tomar enquanto ouviria aquela e outras músicas no violão de novo *_*



Fato engraçado e estranho: só hoje consegui reparar o que o meu celular tinha uma parte em grafite. Adoro a minha lerdeza de vez em quando, coisas cotidianas se tornam descobertas maravilhosas para mim e eu realmente gosto disso em mim. Cada coisinha da minha vida singela pode ser uma mera alegria se eu souber aproveitar. Por isso aproveitando o que a vida pode me dar!


Ps: Nunca, nunca! Eu coloquei uma foto minha aqui, reservo isso para outro lugar, mas precisava colocar por motivo de ser meu casaquinho favorito. Esse fato nunca se repetirá! Mesmo que falar essa palavra atraia o sempre.....

terça-feira, 6 de abril de 2010

Frases de banheiro!

“QUAL É A PRINCIPAL DIFERENÇA ENTRE FRUSTRAÇÃO E DESESPERO? FRUSTRAÇÃO É QUANDO VOCÊ PELA PRIMEIRA VEZ NÃO CONSEGUE DAR A SEGUNDA..


DESESPERO É QUANDO VOCÊ PELA SEGUNDA VEZ NÃO CONSEGUE DAR A PRIMEIRA…”

 
 
“SE NÃO HOUVE AMOR, VALEU PELO GOSTAR.


E NÃO HOUVE GOSTAR, VALEU PELO QUERER.

SE NÃO HOUVE QUERER, VALEU PELA ALEGRIA DE ESTAR COM VOCÊ.

SE NÃO HOUVE ALEGRIA, VALEU PELA AMIZADE.

SE NÃO HOUVE AMIZADE, VALEU PELA INTENÇÃO.

SE NÃO HOUVE INTENÇÃO: FODA-SE , VAI SER EXIGENTE ASSIM, NA PUTA QUE PARIU !!!!"

 
 
“PASSADO DE MULHER É IGUAL A COZINHA DE RESTAURANTE: MELHOR NÃO CONHECER SENÃO VOCÊ NÃO COME.”



O que é isso? São frases de banheiro. Achei nesses blogs de besteira... O motivo de as colocar aqui é porque, além de terem conseguido arrancar risos de mim, elas fazem talvez todo o sentido.

Ps: a primeira é zuação poxa!!!!!! ;p
Ps2: Boa terça-feira para todos aqueles que vão ralar horrores no dia de hoje como eu ou vão ficar na vida boa!
Ps3: eu tô morta e enterrada, não fiz o banner mas fiz o site. Mas o mais necessário era o banner =x

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Não assuste!

Você não digitou nada errado e entrou em outro blog de uma branca de neve enrustida. Ainda sou eu: Adam Avlis, Mavi Fergaz e Mada Victória! Todos nós comandamos ainda o site. Só foi uma decisão que estava mais do que na hora de mudar. Já era usado esse layout a muito tempo, eu enjoei e quando enjoo tem que mudar na hora! Além de ser o mesmo padrão do outro blog, não sou tão sem criatividade assim!


Não é nada de recomeço ou mesmo outra forma de escrita e abordagem. Bobagem! É só uma repaginada  para dar mais vontade de escrever aqui. Mais?! Poxa.... (tá, isso foi só forma de falar....)

"Life is good, as good as a wish!" (se alguém descobrir de que música é ganha um prêmio! Foi a temática da mudança do blog.

Agora, porque mudar bem agora que nem tinha tempo para perder editando um site?

Depois desse feriado, decidi! Quero cada vez mais surpreender as pessoas e me surpreender, é muito gostoso isso. É muito gostoso quebrar os seus limites e paradigmas. Claro que estou extasiada assim porque só fiz coisas diferentes!

De uma madrugada com violão na quinta na praça dos três poderes a um domingo comendo mais do que consigo em uma semana! Passando por uma sexta com festa em uma boite flutuante e um sábado revendo amigos e cantando, sim sim cantando!

Para que falar isso tudo? Fica a dica que quero mais ;D (ou mesmo que esses já foram, coloquem as cabeças para  funcionar que eu quero coisas diferentes!)


So....... Seja bem vindo para o site repaginado =D

domingo, 4 de abril de 2010

Efemeridade

Alguém já conseguiu reparar como a vida é fluida? Efêmera? Não?!

Tente pegar ou segurar água em sua mão. Ela escorre, por mais fixa ou coesa que tente manter suas mãos a água sempre consegue escapar. Essa é a visão que tenho de vida, não só a minha que escapa. E é aí que se torna pior, muitas vidas passam pelas minhas mãos e eu não consigo segurar a grande maioria.

Talvez não seja o objetivo segurar, mas sim conseguir presenciar momentos prazerosos ou não com essas vidas que encontram com a minha. Mas existe sempre um porém, o meu porém é o tempo. Não consigo me organizar o suficiente ou mesmo não há como viajar distâncias incalculáveis para matar saudades aparentes ou ver milagres acontecendo.

As distâncias podiam ser mais curtas quando a gente ouve uma voz chorosa do outro lado do telefone ou uma saudade apertando bem no cantinho esquerdo do coração.

Alguma vez eu já devo ter mencionado que um dos sentimentos que mais detesto é sentir impotência, sentir que não consigo resolver algo ou que não consigo ajudar. Acabar de me sentir assim é pior ainda, vai ser uma postagem completamente chateada ou pior, triste. Então se não quer estragar o seu dia, não leia!



Já pensou no que significa efêmero. Coisas efêmeras são transitórias, passageiras ou que duram pouco tempo. Logo após isso, tudo que quero é sair e aproveitar o máximo para não perder nenhum instante da vida. Para quando morrer eu não sentir que faltou algo para fazer ou que deveria ter feito algo melhor. Morrer....

Ah isso não deveria marcar ou pesar tanto na vida dos que ficam, o saudosismo embutido na morte de alguém é tanto que consegue ser chato. Por muitas vezes eu não gosto de saber que alguém morreu, especialmente quando quem me conta segura o choro. Mais especialmente quando esse alguém é recheado de carinho por mim e sei que vou ficar triste por ela e por mim ao mesmo tempo, então o sentimento será bem pior.

De novo, a distância consegue estragar qualquer momento. Esses lapsos temporais e espaciais são odiosos para mim! E não consigo acalmar ou mesmo passar os meus sentimentos quanto a tudo. Só ouvir a pessoa chorar ou mesmo contar momentos com a pessoa que partiu não são suficientes para acalmar a minha alma que quer ajudar.

Odeio perdas, assim como odeio me sentir impotente. A combinação deles é frustrante! Acho que pela segunda vez na vida me sinto da mesma forma e pela mesma pessoa. O pior é acreditar que esse tipo de situação se tornará mais comum em nossas vidas até uma de nós ir primeiro (é infeliz e triste saber que ela vai primeiro que eu).

Envelhecer, deveríamos chegar ao envelhecimento de mente e fisionomia, contudo nunca dos órgãos e suas funções para gente nunca morrer! Claro que acidentes aconteceriam e todos os outros problemas que não consigo pensar por agora. No entanto, senhores e senhoras "idosos" não nos deixariam...

Sei que falam que é a morte mais bonita que tem, pois já se viveu tudo e se seguiu a ordem natural da vida. Eles podem talvez terem vivido, mas eu não tenho culpa de ter chegado muito após ao nascimento deles e não ter aproveitado o suficiente! A palavra nem é aproveitar, sim conviver. Algumas diferenças de idade são tão cruéis que não nos permitem a possibilidade de muitos momentos.

Loucura da minha parte, mas deveríamos saber quando os outros vão morrer (nunca quando nós morreríamos, porque seria agoniante viver assim). Saber dos outros ou pelo menos saber que está chegando para os perdidos obterem uma segunda chance e degustar dos momentos que faltam.

Pois é, não pude com muitos fazer isso. Sei bem que isso é uma lição para aproveitar com quem ainda está aqui. Sinais de que devo visitar, chamados de pessoas queridas é o que não falta. O ausente é o tempo! Com ele terei uma conversinha por esses dias, ele vai ter que ceder e me libertar por uns tempos...

O que mais quero é consertar muitos erros antigos e um deles é a ausência que sempre convivo. Não vou fazer mais isso!!!!!




(São essas datas comemorativas que me deixam com mais saudade de quem foi... Não sei se falar ajuda, mas.... Muita, muita saudade vô! Queria o senhor com a gente. Queria poder dar o abraço no senhor que faltou. Queria ser a médica que o senhor sempre quis e me chamou. Desculpa.........)

Surpreenda!

Infeliz belo dia que decido usar vestido e sandália, já que todas as chuvas e lamas da cidade resolvem fazer o ar de suas graças para alegrar os meus pés desprotegidos. Para piorar meu vestido era branco, mas isso é um mero detalhe! É especialmente gostoso ouvir a chuva cair enquanto você está em uma aula tediosa e realizar que fez a besteira de escolher a roupa errada para o dia. Tudo que se tem a fazer é querer chegar o mais rápido ao carro para conseguir evitar qualquer acidente eminente ou qualquer chance de cair em uma poça!



Cada passo era um esforço para carregar duas mochilas pesadas, segurar o vestido e me equilibrar. Claro que sempre curvada e olhando para o chão a procura de onde melhor pisar. É nesse contexto que acontece o grande susto, só uma sequência surpreendente de fatos.



Equilíbrio, passo, equilíbrio, passo, tenta arrumar a roupa, abaixa mais a cabeça para apertar o laço do pescoço, levanta a cabeça e susto! Por uma fração de segundo não vou de encontro a algo monumental. Como podia ser tão alto, tão presente, tão imponente e eu não ter notado? Meio passo a mais e eu podia ter encostado a minha face gelada na dele, seria vergonhoso ainda mais para mim. Estava do lado do cursinho e, se alguém visse, eu estaria fadada a eterna zuação ou olhares curiosos o resto do semestre.



Ainda bem que eu consegui me recompor, adquirir equilíbrio novamente e seguir o quanto antes para o meu carro. Porém, antes, eu precisava olhar para trás e ver o que deixei. Ao virar a cabeça só conseguia avistar o grande poste que eu praticamente aguarrei por ser descuidada. Ainda bem que ninguém percebeu, eu realmente seria o alvo das piadinhas do semestre!









Após a tentativa de uma narrativa acima, termino a postagem dizendo: hoje consegui surpreender e me, como? Surpreendi-me ao aceitar um videoke e cantar. Surpreendi ao soltar quase toda a minha voz e receber elogios, olhares, palmas, rostos pasmos e pessoas felizes com o que cantei e como. Maravilhosamente eu gostei!

sábado, 3 de abril de 2010

Frustrações irrelevantes!

Detesto sábado com aula, detesto mais ainda quando é um sábado no meio do feriado em que todos viajaram ou estão descansando. Detesto piamente quando é um sábado no meio do feriado em que todos estão viajando ou descansando e eu ter aula no estado bagacento que estou! (isso foi meio redundante, mas soou como um pronto falei!)

Somos vestibulando, mas somos humanos e temos limites. Quando séra que o pessoal que coordena cursinho vai perceber isso?


Ah... Eu quero o meu computador funcionando logo, quero ter todos os meus programas de edição de volta. Preciso trabalhar e preciso editar para o meu "bel prazer" e não posso. Não é nada fácil, na verdade impossível, viver a base de paint e suas variantes. O pior é ainda estar num computador pouco capacitado e que não aceita nada ser instalado....

AH!!!!!!!!!!!!!!


Tudo bem, parar de reclamar, sei que isso enche. E também, tenho que agradecer, pois estou num dos melhores feriados da minha vida. Comilanças maravilhosas e gostosas em casa e sair depois para gastar tudo. Adoro!

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Preto e branco ou colorido?

   E a dúvida cruel? Qual ficaria melhor? Minha preferencia e afeição por tribal me tenta ao preto e branco. Mas ficaria bom o suficiente?
Será que o colorido atenderia todas as minhas necessidades? Expectativas da primeira, isso traz todo um medo e todo um desejo de que essa seja mais que perfeita.

O problema é que todo mundo sabe que a primeira vez nunca é tão boa quanto as outras. Será que eu deixo ela para depois? Não! A fênix tem que ser a primeira, tem!

1º de Abril!

Um dos dias que eu mais me divirto no ano, falo cada abobrinha. Já consegui em menos uma hora assustar e ser assustada por um bando gente.

Mas aqui eu só falo a verdade, então.....

Decisão tomada! Vou voltar para o meu antigo curso, chega de cursinho, chega de me desgastar a toa por um curso que não vai acrescentar nada na minha vida. Ontem pensei bastante sobre isso, em uma das minhas mil caminhadas na chuva desse dia, e cheguei a essa conclusão: semestre que vem vou tentar recuperar o tempo perdido e me formar logo no fim ano que vem, como era o planejado.... Enfim rumos na minha vida!
















Quem caiu nessa? Sinceramente!!!!! MAS É NUNCA que eu volto, admito que vou sentir saudades intensas de exatas em Comunicação Social, mas pera lá! Eu já já começarei o meu tão sonhado curso de engenharia  da computação, então eu posso deixar as exatas em stand by.

Feliz 1º de Abril!!!! Porque esse ano estou cheia de idéias para aplicar, hohohohoho

(mamãe é a minha próxima vítima e vou pegar tão pesado com o meu irmão *sorriso maléfico*)
(a propósito, se eu não postar aqui amanhã é porque cometeram um assassinato de tanto ódio da peça que eu preguei =X)